Ita Poeta

Versos Livres

Textos

SINAS
Adeus aos olhos,  da boca denunciada, do ouvido aturdido, da mão aterrorizada.
Foi se a mente, desassistida do pensamento e da memória, buscar abrigo em algum canto. pediu asilo ao coração; Este já  rijo de ressentimento,  deu de ombros. Esgueirou se pela nodua da ignorância e desapareceu.
Trágico fim de uma espécie condenada
No berço esplêndido.
Ita poeta
Enviado por Ita poeta em 11/12/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras